Tomada de DecisãoO tempo todo somos levados à tomar decisões. Algumas são pequenas decisões do dia a dia, que fazem parte da nossa rotina e outras são mais difíceis de serem tomadas, como por exemplo, mudar de emprego, demitir alguém, financiar uma casa, começar um novo negócio, etc

Para muitas pessoas tomar uma decisão é um grande problema pois escolher entre duas ou mais opções pode se tornar um drama e analisar mais de uma possibilidade torna-se bastante complicado.

É natural ficar inseguro ou indeciso na hora de fazer escolhas. Entretanto, a maneira como as pessoas analisam as alternativas é essencial para realizarem uma escolha consciente.

E quanto a escolha não foi acertada?

Quando a decisão tomada parece fazer sentido e tem um impacto positivo, é natural que a pessoa se sinta confortável, causando uma grande satisfação. O problema é quando a escolha, depois de feita, parece não ser a das melhores.

Autoconhecimento para Tomar Decisões Certas

Primeiramente, para diminuir o risco de se equivocar nas decisões é necessário conhecer suas próprias emoções e sentimentos. Para isso é necessário autoconhecimento e inteligência emocional (IE). As pessoas que se autoconhecem são mais ponderadas e procuram avaliar os prós e contras, não agindo impulsivamente. Não se desesperam e conseguem dar melhores respostas às crises.

Entretanto, as pessoas que não se conhecem seus pontos fortes e suas fraquezas apresentam problemas ao fazer escolhas. Elas têm dificuldades na compreensão de si mesmas, do outro e do mundo. São facilmente afetadas pelas circunstâncias. Tendem a perceber as situações como uma ameaça e suas desconfianças e reatividade ocasionam desgastes no trabalho e na família, gerando relacionamentos desarmoniosos e desajustados.

Geralmente não assumem os equívocos das decisões e se tornam pessoas soberbas e arrogantes, colocando a culpa de suas limitações  em outras pessoas.

Conheça seu Perfil na Tomada de Decisão

Dentre os 7 perfis predominantes para tomada de decisão e o que pode fazer a respeito:

1) O Inseguro

É o que apresenta maior dificuldade nas decisões. Tem medo de tudo e de todos. Não possui autoconfiança, age defensivamente e imagina-se nos piores cenários possíveis.

Se você é assim, precisa trabalhar o autoconhecimento e inteligência emocional. Opcionalmente, converse com pessoas da sua confiança (coach, mentor) que possam lhe apoiar e  auxiliar em decisões importantes.

2) O Procrastinador

Sempre deixa para depois, por qualquer coisa adia sua decisão, nunca acha que é a hora certa. Seu lema é “se posso pensar nisso amanhã, por que pensarei hoje?”

Se você é assim, trace metas e objetivos com datas (próximas) para tomar decisões. Evite evitar!

3) O Cauteloso

Analisa de forma exagerada os problemas decorrentes das decisões e acaba correndo o risco de perder a oportunidade, ficando disperso em seus devaneios, ideias e análises.

Se você é assim, decida decidir!  Existem riscos que não podemos deixar de correr.

4) O Super-confiante

Tem tanta certeza que a decisão está certa que não costuma avaliar o cenário à sua volta, nem consultar pessoas que sabem mais do que ele. Geralmente são pessoas emocionais demais que não buscam explicações lógicas para as coisas.

Se você é assim, procure informar-se de todos os fatos, principalmente dos números e argumentos racionais. Não tente resolver tudo na conversa ou no achismo.

5) O Conhecedor

Racional em excesso. Intelectualismo exagerado, conhece e sabe mais que todos, não leva em consideração fatores como as emoções, por exemplo. Quer tudo explicado detalhadamente, mesmo que as informações sejam irrelevantes.

Se você é assim, pense que não é necessário saber exatamente tudo, informações demais podem fazê-lo ver somente as árvores e não a floresta.

6) O Autobiográfico

Toma decisões com base no passado e nas suas experiências. “Já vivi uma situação parecida ou tomei uma decisão assim e sempre deu certo. “

Se você é assim, tome cuidado, nem tudo que que aconteceu no passado, poderá se repetir no futuro.

7) O Equilibrado

Esse é o perfil ideal. É emocionalmente inteligente, equilibra razão e emoção, riscos e incertezas. Ouve e conversa com outras pessoas, pondera e depois toma a decisão.  Não corre riscos desnecessários e nem deixa de correr, quando necessários.

Todos nós somos capazes de tomar decisões, elas são necessárias para nossa evolução.

E mesmo que você decida ficar na zona de conforto e não decidir nada, lembre-se, você tomou a decisão de não decidir. Pense nisso!
formacao-coaching2