Muitas vezes é confortável acreditar na ideia de que outras pessoas ou eventos externos controlam nossas vidas. Ou que o ambiente é responsável pelo que somos hoje.  Pessoas que pensam dessa forma geralmente assim respondem quando as coisas não acontecem como gostariam:

-Por que você está infeliz? Porque meu cônjuge me irrita…

-Por que você não tem dinheiro? Porque estou em um emprego mal remunerado…

– Por que está mal-humorado? Porque meu chefe me chamou a atenção…

–  Por que não é bem-sucedido? Porque não tive sorte…”

Essas são respostas típicas de pessoas que evitam assumir o controle e as responsabilidades por suas escolhas e suas vidas. Elas evitam tomar decisões com medo de errar e geralmente permanecem no mesmo lugar por anos, mesmo que estejam infelizes.

Geralmente são indolentes. Sabem o que devem fazer, entretanto falta-lhes esforços para fazê-lo. Passam longas horas na frente da TV ou do “smartphone” fazendo nada, isso dá um conforto imediato, mas impede o crescimento a longo prazo.

Somente com o movimento é que existe o crescimento.

Dar desculpas é fácil, todo mundo pode fazer isso, até mesmo uma criança. Reclamar é mais simples ainda – mas ambas as estradas não levam a lugar algum. No máximo, desgastam e poluem nossas mentes com informações negativas.

Assuma o Controle da sua Vida

Por outro lado, temos as pessoas que reconhecem a responsabilidade pelas suas realizações e sentem-se no controle de suas vidas.  Elas não culpam ninguém nem encontram desculpas quando as coisas vão mal. Elas agem.

Pessoas que acreditam não estar no controle de suas vidas evitam compromissos para sentirem-se livres, mas isso é um equívoco. Nas organizações, enquanto outras estabelecem relacionamentos interpessoais positivos, destacam-se e trilham carreiras de sucesso, elas preferem permanecer na zona de conforto.

Parte disso deve-se ao temor de errar para evitar julgamentos, não querer se mostrar, evitar demonstrar fraqueza ou não perder a confiança dos chefes, colegas de trabalho ou das pessoas que conhece.  Mas a grande ironia é que quando não agem ou assumem responsabilidades é que são vistas como fracas e medrosas, podendo perder o respeito dos demais.

Para controlarmos nossas próprias vidas é necessário assumirmos responsabilidades por nossas ações. Quem não faz isso estará abrindo mão da sua autonomia e seu controle.

Se você acredita que não tem culpa por nada que acontece, também não pode reivindicar o crédito por aquilo que vai bem. Pense nisso.

formacao-coaching2