emoções

Somos seres emocionais, a emoção é a energia propulsora de nossas vidas.

Para o neurocientista António Damásio a emoção é um programa de ações. Elas surgem mediante estímulos, que geram um tipo de reação diferente em cada um de nós. Isso ocorre porque somos o resultado de repertórios comportamentais inatos, que nascemos com eles, e outros aprendidos durante a vida. Isso nos faz agir.

Mover para Fora

As emoções são como uma faísca da vida, aquilo que nos leva à ação.

Toda vez as vivenciamos, principalmente as mais fortes e primárias como o medo e a raiva, por exemplo, existe predisposição a uma ação imediata. A própria raiz da palavra emoção é do latim “movere” que significa “mover”. Sugere uma direção externa a partir do corpo: emoção significa “movimento para fora”.

Essa ação pode ser não verbal (palavras, gestos) ou verbal (uma palavra, uma frase) ou uma combinação entre elas.

A importância das emoções em nossa vida fez proliferar ensinamentos nada científicos sobre a inteligência emocional. A maioria voltada para a autoajuda.  Esse importante conceito foi reduzido a abordar algumas poucas emoções, geralmente as mais básicas, fortes e negativas (raiva, medo), experimentadas por todos os seres humanos.

Não é Tudo a Mesma Coisa

No entanto, Damásio afirma que existem diferenças entre as emoções e entendê-las é fundamental para o desenvolvimento da inteligência emocional. Ele as chamou de iniciais (primárias), adultas (secundárias) e estados de ânimo.

1) Emoções Primárias

As emoções primárias, são universais, inatas, nascem conosco e são comuns a todos seres humanos. Também são chamadas de básicas, sendo elas o medo, a alegria, a tristeza, a raiva, a surpresa e a aversão (nojo). Não é preciso nenhuma evolução ou aprendizado significativo para senti-las. E são essas geralmente abordadas em pseudo-cursos de inteligência emocional.

2) Emoções Secundárias

As emoções secundárias são as adultas, sutis, dependem de aprendizagem, contatos, interações sociais e também do contexto. Ao contrário das primárias, elas não nascem conosco, são aprendidas e implicam em uma avaliação cognitiva das situações. São um tipo de nível mais alto das emoções, desenvolvidas a partir do nosso processo evolutivo. A vergonha, o ciúme, a culpa e o orgulho são alguns exemplos.

3) Estados de Ânimo

Para Damásio existe ainda uma terceira categoria que seriam os estados de ânimo ( também chamados de estados emocionais ou de fundo). Bem-estar/mal-estar, satisfeito/insatisfeito, animado/desanimado são alguns exemplos.

Existem várias emoções diferentes, dezenas delas. Primárias, secundárias e de fundo. Pessoas com inteligência emocional compreendem a sua importância, sabem gerenciá-las e aprendem sobre elas durante a vida toda.

formacao-coaching2