125

Algumas pessoas sofrem abuso psicológico sem se dar conta disso. São envolvidas em uma espécie de jogo mental  por indivíduos em quem confiam, a ponto de serem manipuladas e violadas emocionalmente. 

Dependendo do caso, a violência psicológica pode ser pior que a agressão física.

Violência Psicológica: Gaslighting

Em um dos casos que chegou ao meu conhecimento, um homem sofria de abusos emocionais  de sua companheira que incluíam a desqualificação e diminuição da sua autoestima de forma constante, causando uma espécie de desorganização psicológica. Ele não tinha consciência disso.

A companheira usava de repetitiva manipulação para desorientá-lo. Era uma encenação, ora ela utilizava sutileza, ora palavras duras e intimidação, deixando-o desorientado e duvidando de si mesmo e da sua capacidade.

Com o passar do tempo, essas intimidações ficaram mais severas. Do ponto de vista clínico esse fenômeno é intitulado gaslighting ou gas-lighting.

Paradoxalmente, as vítimas do gaslighting são geralmente pessoas desconfiadas, que encontram alguém aparentemente confiável.

Significado e Origem do Termo

O termo gaslighting é derivado do filme de 1944 Gaslight,  ou À Meia Luz em português, em que um marido tenta convencer sua esposa que ela é insana, fazendo com que ela questione a sua realidade. Recentemente, outro filme, A Garota do Trem também aborda um trama parecido.

Gaslighting é uma forma de abuso psicológico no qual informações são distorcidas, seletivamente omitidas para favorecer o abusador ou simplesmente inventadas com a intenção de fazer a vítima duvidar de sua própria memória, percepção, identidade, autoestima e até mesmo, sanidade.

Esse fenômeno gera um impacto destrutivo na vida daquele que sofre o abuso. E por vezes, é difícil de ser detectado quando feito de forma sutil, como o caso da pessoa citada no início do artigo.

Sinais do Gaslighting

O gaslighting pode estar presente em contextos profissionais ou familiares, mas é mais comum em relacionamentos amorosos.

No gaslighting, o agressor domina a vítima, não no sentido físico, mas no sentido psicológico, dependendo da situação, alguns sinais podem aparecer, configurando em estágios crescentes. Quanto mais elevado, mais forte é sentida a agressão pela vítima  e maior sua dependência do agressor.

Sinais/Estágios

Nos estágios iniciais as intimidações podem ocorrer por meio de gestos (olhares de reprovação ou de intimidação, por exemplo).

Veja como se desenvolve o gaslighting:

  1. Mentiras e exageros. O agressor cria uma narrativa negativa e generalizada sobre a vítima. “Meu marido é um fracassado.” ou “Seu trabalho é uma idiotice. Nem sei como você está empregado ainda.”
  2. Repetição. As mentiras são ditas repetidas vezes para manter a vítima confusa e duvidosa da sua capacidade.
  3. Aumento de ataques. Quando confrontado pelas mentiras, o agressor aumenta seus ataques, negando provas contundentes de suas mentiras, implantando dúvidas e confusão na mente da vítima. “Quando peguei meu namorado flertando com minha amiga, ele me disse que não estava acontecendo nada, que era tudo imaginação minha. Ele me disse que estava louca. Que eu não sei diferenciar simpatia de paquera.”
  4. Enfraquecimento da vítima. O desgaste contínuo das constantes investidas do agressor deixa a vítima desanimada, pessimista, debilitada, medrosa. Ela começa a questionar sua percepção, realidade e identidade.
  5. Criação de co-dependência.  O agressor consegue criar uma dependência emocional ou psicológica excessiva na vítima em relação à ele. A insegurança e a ansiedade provocadas nos estágios anteriores faz com que a vítima aceite as investidas do parceiro e sobretudo, ela aprova, respeita e tem segurança com ele. A dependência tem a base no medo, na vulnerabilidade e na marginalização.
  6. Dar falsas esperanças. Como uma tática de manipulação, o agressor ocasionalmente tratará a vítima com carinho, sentimentos de bondade e até mesmo remorso, para dar falsas esperanças de melhoria futura. Nessas circunstâncias, a vítima pode pensar: “Talvez ele não seja realmente tão ruim”,  ou “Vou dar uma chance”. Mas na maioria das vezes isso é somente mais uma manipulação para gerar consternação e complacência. Em um curto espaço de tempo, as agressões são retomadas.
  7. Domínio e controle. Esse é um estágio extremo, em que o objetivo do agressor psicológico é controlar, dominar e tirar proveito da vítima. Por meio de mentiras e coerções, cria insegurança e pode explorá-la à vontade, que ela não terá nenhuma reação.

Pode parecer absurdo que alguém seja vítima do gaslighting com tantos sinais evidentes, mas não esqueçamos que existe uma alta carga emocional envolvida e que é praticado por alguém de extrema confiança!

Reconhecer um abuso psicológico é sempre doloroso, o ser humano tenta evitar aquilo que lhe traz sofrimento. Mas se diante do que foi exposto você identificar que pode ser vítima desse tipo de agressão, é importante manter sua mente em ordem e discernir o que é real do que é fantasioso. Esse é o primeiro e um grande passo. Não entrar em discussões que não levam a lugar algum. Fortalecer valores e crenças fundamentais também são fatores decisivos para não se transformar em vítima desse abuso psicológico.

Bibliografia:

PRESTON, N. How to Successfully Handle Gaslighters & Stop Psychological Bullying.

TRACY N. Gaslighting Definition, Techniques, and Being Gaslighted.

GOSTOU DE NOSSO ARTIGO? CLIQUE AQUI PARA RECEBER NOSSA NEWSLETTER

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

formacao-coaching2