AS FORÇAS DAS VIRTUDES DE UM LÍDER

Liderança

Antes de adentrarmos no assunto, queremos dizer que não defendemos partidos políticos ou classes sociais, nosso interesse é disseminar o conhecimento e as boas práticas de liderança positiva.

Virtude não é algo ultrapassado?

Até a alguns tempos atrás falar sobre virtudes era clamar em um deserto. Virtude era algo antigo, fora de moda, que significava ingenuidade, irrealismo ou ilusão. Durante séculos a palavra esteve associada à filosofia e a religião. Hoje, com o movimento da psicologia positiva tendo à frente o Dr. Martin Seligman (2011), sabemos que virtude é um dos alicerces da liderança positiva. Nesse conceito moderno, virtude significa força ou excelência, são hábitos, desejos e ações que geram bem pessoal e social.

Com o sistema institucional público abalado, o brasileiro não se pensa em outra coisa que não seja ter um líder virtuoso. Para preservar a confiança em um sistema é necessário que ele seja gerido por homens e mulheres honrados e decentes.

Agora, mais do que nunca, precisamos de líderes conscientes. Os efeitos da liderança desonesta apontam para a necessidade de se promover a liderança autêntica e virtuosa, tanto na gestão pública quanto na empresarial.

Peter Drucker (1954), um dos maiores pensadores e visionários da administração, na década de 50, já nos alertava para os efeitos nefastos da liderança desonesta. Segundo ele, não podemos considerar a inteligência mais importante do que a integridade. Lembrando que inteligência não está somente relacionada ao QI (Quociente Intelectual), envolve outras habilidades cognitivas humanas. É o caso da inteligência interpessoal, a habilidade de entender as intenções, motivações e desejos dos outros. Encontra-se mais desenvolvida em políticos, religiosos e professores.

Para Drucker, um gestor sem caráter e integridade, por mais inteligente, brilhante e bem-sucedido que possa ser, passará a ser um destruidor.

Arruína as pessoas, destrói o espírito da instituição e acaba com a sua capacidade de realização. Um líder desonesto, por mais simpático, amigável e brilhante que possa ser, é um perigo e deve ser considerado indigno de seu cargo.

Quem se beneficia com a liderança virtuosa?

O caminho das virtudes não é o mais fácil, é mais simples ceder aos prazeres e ganhos imediatos do que fazer concessões e sacrifícios.  As boas virtudes são praticadas por líderes servidores e eficazes a serviço do bem-estar comum. Com a essas práticas todos ganham, a começar pelo próprio líder. Elas o levam à autorrealização, à satisfação com a vida, ao bem-estar e conduzem a si mesmo, os outros e o mundo para melhores resultados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Aviso Legal: O resultado individual varia conforme o nível da habilidade aprendida, a dedicação e o esforço de cada participante. Dispensar

X