CONTRIBUIÇÕES DA PSICOLOGIA POSITIVA PARA AS PESSOAS E ORGANIZAÇÕES

CONTRIBUIÇÕES DA PSICOLOGIA POSITIVA PARA AS PESSOAS E ORGANIZAÇÕES

 

O que realmente é ser feliz, viver o melhor de si com plenitude? Família, filhos, amigos, namorar, viajar, afeto, paz, realização de sonhos e objetivos, trabalho, deixar um legado para a humanidade são possíveis respostas dentre as outras dezenas que poderíamos encontrar para essa questão.

Existem muitas respostas para essa pergunta e todas elas, certamente, possuem um enfoque positivo.

Se fomos feitos para buscar a plenitude e felicidade, porque então focar nos defeitos, patologias e situações negativas?

Para responder a essa pergunta recorremos à Psicologia Positiva.

Psicologia Tradicional e Psicologia Positiva: Enfoques Diferentes

A Psicologia Positiva tem como objetivo estudar cientificamente as forças e virtudes que permitam que indivíduos, comunidades e organizações sejam mais produtivas, prósperas e felizes.

É uma área emergente da psicologia fundamentada na crença de que as pessoas necessitam para levar uma vida significativa e gratificante, cultivar o que há de melhor em si e favorecer suas experiências de amor, trabalho e diversão.

A Psicologia Positiva enfoca na investigação de aspectos potencialmente saudáveis do viver e sua relação com a qualidade de vida, em oposição à psicologia tradicional e sua ênfase em psicopatologias.

Não significa um ruptura com outras abordagens da psicologia que são igualmente importantes ou tampouco que devemos ignorar ou menosprezar o sofrimento humano. Mas, conforme sugerido por Martin Seligman, psicólogo e pioneiro dessa nova abordagem, devemos explorar também as qualidades das pessoas, junto com seus defeitos.

O Estudo da Psicologia Positiva

A Psicologia Positiva estuda as emoções, traços individuais e as instituições positivas.

A compreensão das emoções positivas significa a ressignificação do passado, a felicidade no presente e a esperança no futuro.

Entender traços individuais positivos envolve o estudo de forças e virtudes, tais como a sabedoria e conhecimento, capacidade de amar e trabalhar, coragem, compaixão, resiliência, criatividade, curiosidade, integridade, autoconhecimento, temperança/moderação, autocontrole e sabedoria.

Compreender as instituições positivas implica em estudos dos pontos fortes que promovam a vida melhor em comunidade, como a justiça, responsabilidade, civilidade, ética de trabalho, liderança, trabalho em equipe, propósito e tolerância.

A Psicologia Positiva traz muitas contribuições para a área do trabalho, dentre elas o estudo da resiliência, além da investigação da relação felicidade-trabalho e da psicologia do emprego gratificante.

Felicidade e Trabalho

Sabe-se que existe uma correlação entre felicidade e trabalho. O trabalho exerce grande influência sobre outros aspectos da vida (saúde, família, bem-estar, lazer). Se uma pessoa está feliz com seu trabalho, é provável que sua satisfação geral com a vida também seja maior. Pessoas empregadas são mais felizes do que aquelas que estão sem emprego. Um trabalhador feliz é produtivo e eficaz.

Outra contribuição dos estudiosos da psicologia positiva é o “capital psicológico positivo – PsiCap” que envolve variáveis como eficácia/autoconfiança, esperança, otimismo e resiliência.

Para eles, a medida que avançamos na era do conhecimento, é preciso que as organizações reduzam sua dependência das fontes tradicionais de capital para avançar em formas psicológicas de capital.

Há muito o que estudar e aprender sobre a Psicologia Positiva. Para mim, particularmente, psicóloga organizacional há muitos anos, é maravilhoso participar desse movimento, sinto-me gratificada por ter vivido para conhecer e aplicar essa abordagem em minhas formações.

Essa ciência trouxe um olhar positivo sobre o futuro da psicologia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Aviso Legal: O resultado individual varia conforme o nível da habilidade aprendida, a dedicação e o esforço de cada participante. Dispensar

X