ESTÁGIOS DO COMPORTAMENTO HUMANO

Identifique os estágios do comportamento humano diante da perda e da terminalidade e conheça nossas atitudes em cada um deles.

– Como aceitar as dores e perdas que a vida nos impõe?

– Como aceitar as mudanças e problemas que as vida, as pessoas e as circunstâncias lançam sobre nós?

Para responder à essas perguntas, Elisabeth Kubler-Ross, psiquiatra suíça, identificou relatos de perdas, mortes e riscos, tornando-se uma referência e autoridade no assunto ao acompanhar pacientes terminais diante do significado da morte.

Ela idealizou um método universal, classificando o comportamento humano em cinco estágios diante do fim: negação, raiva, barganha, depressão e aceitação.

Em seu livro “Sobre a Morte e o Morrer”, esses estágios são descritos de maneira simples e didática, facilitando a compreensão de cada um deles.

Publicada há 50 anos, a obra descreve conversas entre médico e paciente que hoje são de grande valia diante da pandemia do novo coronavírus, onde vivenciamos perdas de todos os tipos, desde vidas humanas, até materiais e profissionais.

Portanto, meu objetivo é trazer esse conceito para o cenário atual, para você possa identificar e compreender as fases do seu próprio comportamento e também o dos outros.

Assim, terá consciência dessa universalidade, além de compreender que todo sofrimento tem um fim.

Estágios do Comportamento na Pandemia do Novo Coronavírus

1ª Fase: NEGAÇÃO

Inicialmente, ocorre a negação da situação, que é uma forma temporária de proteção à dor. Assim, a pessoa continua com a sua rotina, como se estivesse acontecendo.

Alguns pensamentos ou frases comuns nessa fase:

– Isso não chegará ao Brasil.

–  Quarentena é uma besteira.

– Não acredito em nada disso.

– Nunca pegarei esse vírus, tenho uma saúde de ferro.

2ª Fase: RAIVA

O segundo estágio é a raiva, quando já não é possível negar os fatos ou acontecimentos decorrentes. Por conseguinte, existe inconformismo e revolta contra as pessoas e o mundo.

Alguns pensamentos ou frases comuns nessa fase:

Por que está acontecendo isso? Não é justo…

– Por que não tomaram medidas antes?

– Que raiva, “não posso sair de casa”; “abrir a minha loja”, “ganhar o meu dinheiro honestamente”.

3º Fase: BARGANHA

Também conhecida como negociação, nessa etapa a pessoa começa a pensar que mudando suas atitudes, talvez ocorra uma espécie de milagre. Possivelmente, nessa fase faz promessas e um pacto com Deus.

– Assim que sair dessa, vou me cuidar mais.

– Faço qualquer coisa para sair disso.

– Deus, me ajude, prometo ser um ser humano melhor.

4º Fase- DEPRESSÃO

Nessa fase de melancolia aparecem os sentimentos de tristeza, solidão, vazio, bem como as recordações e avaliação das perdas. Diante disso, parece que está em um beco sem saída. Bem como, sente-se cansada, impotente e desamparada.

Estou muito triste, não tenho ânimo para nada.

– Está tudo acabado.

– Nunca mais nada será como antes.

5ª Fase- ACEITAÇÃO

Essa última fase refere-se a aceitar os acontecimentos, as perdas e os fatos sobre os quais não tem controle, sem desespero.

A aceitação traz paz interior, calma e equilíbrio.

Em relação à pandemia a esperança e a superação são sentimentos vivenciados nessa fase. A dor emocional diminui ou desaparece com a aceitação.

– Tudo vai dar certo.

– Isso vai passar.

É importante saber que nem todos experimentamos todas as fases, da mesma forma, elas podem se sobrepor e até mesmo, ocorrer juntas.

De acordo com a psicologia, é fundamental não se prender a nenhuma delas, afinal,

Quando nos fixamos em algo, instala-se a patologia.

Por isso é importante se permitir vivenciá-las, sabendo que as adversidades, a dor e o sofrimento fazem parte da vida. Nesse sentido, costumo dizer em meus treinamentos:

Se estamos no rio da vida, é provável que bateremos em algumas pedras.

Finalmente, compreenda que os comportamentos negativos não durarão para sempre. E principalmente, no decorrer da sua vida você também pode experimentar sentimentos positivos como a aceitação e a esperança, mesmo em caso de perdas dolorosas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

X