COMO EVITAR O SEQUESTRO EMOCIONAL

Um sequestro emocional geralmente nos traz arrependimentos depois que acontece. No entanto, é possível controlá-lo, mesmo em circunstâncias difíceis e perturbadoras.

O sequestro emocional, detonador de emoções ou sequestros neurais, ocorre “perdemos a cabeça” e agimos por impulso.

Mas ele acontece também quando sentimos a nossa sobrevivência ameaçada e emoções como raiva ou medo invadem a nossa mente.

A parte do cérebro ligada à sobrevivência (a amígdala cerebral, especificamente) é acionada quando percebemos um risco ou ameaça, deixando-nos alertas e prontos para lutar ou fugir.

Ao sentir-se em perigo e com medo, seja de perder pessoas e até mesmo dinheiro ou emprego, é bem provável que será sequestrado emocionalmente

Como resultado você fica estressado, ansioso e sobrecarregado emocionalmente pois todo o restante do cérebro, principalmente a parte racional, é recrutada e pronta para lutar ou fugir frente à ameaça percebida (ainda que ela nem seja real).

E o pior: você não consegue pensar em outra coisa que não seja na situação que o está perturbando.

Entretanto, ao reconhecer o detonador das emoções, podemos controlar nossos impulsos.

Da mesma forma, a plasticidade do cérebro nos permite evoluir e aprender com as experiências passadas.

Isso significa que ao mudar a forma de reação no presente, a probabilidade de êxito em uma situação parecida no futuro é muito grande. 

Após algum tempo de prática, conseguimos dar uma resposta mais apropriada à situação. Isso é Inteligência Emocional.

Sequestro Emocional: Técnicas de Controle

Vamos abordar três técnicas rápidas para desarmar seus detonadores de emoções: 

Técnica 1 – Esteja autoconsciente e respire fundo

Certamente a autoconsciência é o primeiro passo para controlar os impulsos. Isso significa identificar a situação, pessoas ou fatos que o perturbam e o levam a agir de forma irracional.

Em seguida, preste atenção às alterações na sua mente e no seu corpo, já que o corpo é o Teatro das Emoções.

Ainda consciente, nomeie a emoção que está sentindo: Por exemplo: “Estou indignado,  “Estou ansioso” ou “Estou com raiva.”

O simples fato de falar sobre o que está sentindo desloca a atividade da mente emocional para a mente racional e assim, você diminuirá sua intensidade. Isso lhe permite ter autocontrole sobre o que está sentindo! 

Após fazer isso, respire  profundamente, isso impedirá que a sua mente emocional assuma o controle.

Técnica 2 – Conte até 6

Isso mesmo, no senso comum é muito comum ouvirmos, conte até 10 para não explodir. Entretanto, a neurociência moderna ensina que contar até 6 (equivalente a 6 segundos) já é o suficiente para retomar o autocontrole.  Esperar por apenas alguns segundos antes de agir faz com que as substâncias químicas do cérebro que causam o sequestro emocional se dissipem

Técnica 3 – Questione-se

Quando as emoções negativas e fortes são deflagradas, o primeiro impulso é o de fazer alguma coisa, agindo de forma mecânica, normalmente, retomando as velhas formas de ação arraigadas em nós.

Então, questione-se antes de agir. Os questionamentos são a maneira mais sábia de se obter respostas.  Pergunte a si mesmo algo suficientemente inteligente do tipo: “O que posso fazer para voltar ao controle da situação?“,  “O que seria uma reposta inteligente nesse contexto?” ou “O que  uma pessoa sensata e inteligente faria nesse caso?”

Depois, aja.

As três técnicas são uma forma de autocontrole diante de uma situação perturbadora no curto prazo. A médio e longo prazo, indicamos uma técnica bastante utilizada na Psicologia Positiva, que é o Mindfulness.

Finalmente, é importante você ter controle sobre seus impulsos, caso contrário, ficará à deriva nos acontecimentos do rio da vida.

17 thoughts on “COMO EVITAR O SEQUESTRO EMOCIONAL

  1. GABRIEL says:

    Minha mãe não para até que eu perca o controle, eu tenho 21 anos, não a culpo, e não tenho orgulho do que faço depois que o “calor do momento” passa. Eu entendo que isso é algo que eu devo – e quero -vencer em minha vida. Farei de tudo para conquistar isso, a inteligência emocional.

  2. Paulo Henrique says:

    Eu me classifico como uma pessoa bem explosiva, acabei ganhando uma nova amiga por conta disso, a ansiedade. De um tempo para cá busco entender toda as situações que me fazem perder o controle, saber identificar já é difícil, quanto mais pensar em como interromper o tictac da bomba. Criei o habito de conversar comigo mesmo nessas ocasiões, com os dizeres: “estamos trabalhando para melhor atende-lo senhor” na tentativa de minimizar a frustração pós explosão, com toda certeza irei aplicar as técnicas nesse meu trabalho.

  3. Aline says:

    Em alguns casos já me peguei praticando o STOP, parar, respirar, se retirar e dar um passo pra trás, ajuda na tomada de decisão e assim dar um passo pra frete, porém são inúmeras situações desafiadoras que passamos no dia a dia, que as vezes não conseguimos nem pensar, nas técnicas. Mas começar já é bom! Cada dia melhor! Não prometo controle, mas estou tentando.

  4. Felipe Camilo de Souza says:

    Durante o período de faculdade foi descoberto que eu tinha problemas para fazer provas, no dia da prova eu tinha ” branco” e zerava, graças a um professor, consegui descobrir que a ansiedade e nervosismo fazia com que eu bloqueasse minha mente para raciocinar. Fiz um tratamento na própria instituição de ensino (USF) onde hoje conheço meus gatilhos mentais e consigo controlar minhas fúrias e neuras. As três técnicas mencionadas neste texto eu já pratico desde o começo do meu tratamento e me ajuda muito até hoje. Se você não controla sua mente, ela lhe controlará.

  5. José Jordano Rodrigues Miranda says:

    Da perspectiva de um contexto profissional, a ação de evitar o sequestro emocional deveria ser incorporada como uma das etapas abordadas em gerenciamento de crises, visto que uma pessoa que controla melhor suas emoções, sem dúvidas, teria um desempenho melhor perante os complexos desafios da vida corporativa.

  6. César Augusto says:

    Estou no caminho certo pois depois que passei a morar junto com a namorada, autocontrole emocional tá sendo um teste pra cardíaco.

  7. ADRIANO SANTANA says:

    Pratica do Stop está me ajudando bastante, o autoconhecimento sobre mim, sobre meus limites sobre a linha que a pessoa podem chegar, quando vejo que estão próximo de ultrapassar a linha me afasto me recomponho, caso precise deixo para terminar a conversa em outra hora se for possível.

  8. Frederico Garbuio says:

    As técnicas apresentadas, nos orientam para a melhora do nosso autocontrole e nos impulsionam na busca do equilíbrio emocional pleno.

  9. FABRICIO VINICIUS RODRIGUES RIBEIRO says:

    Vou aderir as técnicas apresentadas, hoje quando vejo que vou me estressar com algo, gosto de levantar, tomar uma água e no caminho vou refletindo se vale a pena se estressar com aquilo.

  10. NICOLAS FERNANDES DE PAULA says:

    O equilíbrio emocional é fundamental para relações de sucesso. O autocontrole nos proporciona melhores resultados. A técnica dos 6 segundos (stop) é simples e deve ser sempre usada em nosso dia-dia, tanto no ambiente pessoal quanto profissional.

  11. Rubens Lopes Ribeiro Neto says:

    Todas as técnicas mencionadas são fundamentais para termos o domínio sobre nossas próprias emoções. Pessoalmente, tenho adotado o método STOP sempre que necessário. Além disso tenho o hábito de levantar da cadeira e mudar de ambiente, o que me ajuda a obter uma perspectiva diferente. Durante esse intervalo, faço questão de respirar profundamente e tomar um pouco de água para refrescar a mente e evitar reações impulsivas, isso me faz manter a calma e tomar melhores decisões.

  12. Geraldo de Melo Silva says:

    As técnicas são ótimas , colocando-as em práticas eliminamos muitas situações adversas, agindo no calor das emoções fazemos coisas que não devemos e que certamente vamos nos arrepender.

  13. Rhitiere Leonardo says:

    É essencial o desenvolvimento das técnicas apresentadas para o auto-desenvolvimento, e são boas em qualquer tipo de situação, ajudam a tomar a decisão correta, no momento certo.

  14. Ana Júlia Ortigoza says:

    Colocar em prática as técnicas aprendidas, especialmente o STOP e os “6 segundos”, tem contribuído muito para evitar que eu aja por impulso e me arrependa depois.

  15. Rafael de Almeida Lopes says:

    Como evitar o sequestro emocional? Envolver-se na conscientização e controle de nossas próprias emoções, impedindo reações impulsivas, requer o reconhecimento de sinais de estresse, raiva ou frustração, e adotar estratégias como a pausas antes de responder. Ao desenvolver a inteligência emocional, torna-se possível manter a calma em situações desafiadoras, promovendo uma abordagem mais racional e construtiva, o que contribui para relacionamentos mais saudáveis e ambientes de trabalho mais positivos.

  16. Rebeca Penteado says:

    Acredito que quando não utilizamos as técnicas apresentadas no artigo, realizamos uma discussão sem argumentos e sem dados eficientes para a tomada de decisão. Ou seja, a impulsividade e a faltam de equilíbrio emocional pode dominar nosso posicionamento profissional e desencadear problemáticas entre áreas, profissionais, etc.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *