NEGATIVIDADE: OS PERIGOS DE FOCAR NO LADO SOMBRIO

Pessoas demonstrando negatividade e desmotivação no trabalho

Negatividade: Por quê, apesar de tantos eventos e situações positivas em nossas vidas, tendemos a nos concentrar nas situações negativas?

Na área pessoal ou no trabalho, viés negativo, muitas vezes, está relacionado à necessidade ou o instinto de proteção individual. De fato, a negatividade muitas vezes está associada a perigos, problemas ou ameaças, o que pode acionar nosso instinto de sobrevivência e nos fazer ficar alertas e até mesmo fixados na situação conflituosa.

Basta observar na mídia e nas redes sociais que a negatividade recebe mais cobertura e comentários pois pode gerar mais engajamento e compartilhamento. De fato, as pessoas são atraídas por histórias trágicas, escândalos ou controvérsias. Mas por quê isso ocorre?

Por que a Fixação na Negatividade

Inicialmente, nosso cérebro foi programado para a negatividade, priorizando a detecção de ameaças em decorrência da sobrevivência ancestral. Isso faz com que busquemos más notícias, nos concentremos nelas e reajamos exageradamente à elas. Essas experiências negativas são rapidamente transformadas em memória e provocam o estresse, criando um ciclo vicioso de reatividade.

Ainda de acordo com os autores e professores Miguel Pina e Cunha e Arménio Rego, existem 4 elementos que chama a nossa atenção para a negatividade nas organizações. São eles:

  1. Intensidade: Os estímulos negativos geralmente são percebidos como ameaças iminentes que demandam uma resposta imediata. Isso resulta em  experiência mais intensa em comparação aos estímulos positivos. Essa percepção pode ter origens evolutivas na história da humanidade.
  2. Novidade: Os eventos positivos são mais comuns, então eles tendem a passar despercebidos. Os eventos negativos se destacam por sua raridade ou inesperado, desencadeando uma emoção básica e universal: a surpresa.
  3. Adaptação: Um estímulo negativo é percebido como um sinal de inadaptação e uma necessidade de ajuste e mudança.
  4. Singularidade: Um único elemento negativo ou defeituoso dentro de um sistema pode comprometer toda a sua funcionalidade, enquanto um elemento operando corretamente não garante o desempenho adequado ou eficaz do sistema como um todo. Isso é exemplificado pelo ditado de que “a força de uma empresa é determinada pelo seu elo mais fraco”.

Em outras palavras, segundo Cunha e Rego, a negatividade tende a atrair mais atenção e recursos devido à urgência de corrigir e resolver uma deficiência imediata. Por outro lado, a positividade muitas vezes implica “o mesmo de sempre”, o que oferece uma motivação limitada para a mudança.

Mas fixar na negatividade não é uma boa opção, podendo até ser considerado um perigo para nossa vida, carreira e negócios.

Os perigos de Focar na Negatividade

Fixar-se na negatividade pode ter inúmeros efeitos prejudiciais, impactando o comportamento e principalmente, em nossa saúde mental, bem-estar emocional e até mesmo em nossos relacionamentos e desempenho no trabalho.

Elencamos sete problemas associados a isso:

  1. Impacto na saúde mental: Focar  no negativo de forma recorrente pode levar a problemas de saúde mental, como ansiedade, depressão e estresse. A negatividade pode criar um ciclo de pensamentos pessimistas e críticos (conosco, com o outro e com as circunstâncias), reduzindo emoções positivas como otimismo e esperança, tão essenciais para uma vida próspera – dentro e fora da organização.
  2. Impacto na saúde física: O estresse crônico causado pela fixação na negatividade pode ter efeitos adversos em nossa saúde física, aumentando o risco de doenças cardiovasculares, problemas digestivos e comprometimento do sistema imunológico.
  3. Perspectiva distorcida: A fixação na negatividade pode distorcer nossa perspectiva sobre nós mesmos, sobre o outro, a organização e o mundo. Isso pode nos impedir de reconhecer as coisas boas que acontecem ao nosso redor e de apreciar as pequenas alegrias da vida.
  4. Impacto nos relacionamentos: Se estamos constantemente focados no negativo, podemos contagiar negativamente as pessoas dos nossos relacionamentos. Além de afastá-las (afinal, quem quer ao seu lado alguém crítico, ressentido, mal-humorado?), dificulta a construção e manutenção de conexões saudáveis.
  5. Redução da resiliência: Quando fixamos na negatividade, tendemos a reagir de forma disfuncional a desafios e contratempos, em vez de enfrentá-los com resiliência. Isso pode nos tornar mais vulneráveis ao estresse e menos capazes de lidar com as dificuldades e problemas que surgem.
  6. Diminuição da produtividade: A negatividade pode prejudicar nosso desempenho no trabalho e em outras áreas da vida, reduzindo nossa motivação, concentração e criatividade.
  7. Reforço dos sabotadores: Ao nos concentrarmos na negatividade, fortalecemos padrões de pensamento e comportamento prejudiciais, disfuncionais e negativos, que são chamados de Sabotadores pelo Prof. Shirzad Chamine.

Assim, é fundamental reconhecer os padrões de pensamento negativo e buscar maneiras de cultivar uma perspectiva mais positiva e equilibrada da vida. Não se trata da romantização da vida e do trabalho e sim de enxergar a realidade de forma mais positivo-realista Basta imaginar que, tirando aquilo que não podemos mudar de jeito algum, como exemplo, a cor dos nossos olhos ou nossa altura, todo o resto pode ser alterado. Portanto, a positividade pode ser aprendida, cultivada e disseminada.

Artigo escrito em colaboração com a Profa. Dra. Yeda Oswaldo. 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *