COMO LIDAR COM A INJUSTIÇA

O gosto amargo da injustiça…

Quando éramos crianças nossos pais nos disseram que a vida não era justa, nós crescemos e descobrimos que isso era verdade.

Infelizmente, quase todos nós, em algum momento, sentimos este gosto amargo que é ser injustiçado por alguém ou em alguma situação.  Se isso faz sentido para você, certamente a virtude da justiça é relevante em sua vida.

Mas antes da (in)justiça, vem o julgamento.

O Julgamento Precede a Injustiça

Antes de serem justas ou injustas, as pessoas julgam as outras, ainda que de forma inconsciente.

Por isso é importante observar fatos e situações de forma imparcial, sem julgar a pessoa. Analisar o fato em si:

O que realmente aconteceu?

– Qual foi o fato?

Infelizmente o ser humano tende a emitir sua opinião baseado em suas próprias percepções, em sua visão de mundo e na interpretação que tem dele. E não dos fatos como eles realmente são.

Portanto, julgamentos equivocados geram injustiças que impactam nos relacionamentos interpessoais, gerando inimizades e ressentimentos profundos. Então, antes de rotularmos os outros como injustos é importante avaliarmos se praticamos a parcialidade e a justiça em nossa vida.

Segundo a Psicologia Positiva, a justiça é uma virtude. Ela engloba forças ou virtudes cívicas que garantem uma vida saudável em comunidade tais como a cidadania, a imparcialidade e a liderança. Se uma dessas nos faltam, a justiça não é totalmente presente em nossas vidas.

O que se Pode Fazer em Relação à Injustiça

O sentimento de injustiça ocorre por várias razões, pode ser por traição ou ingratidão.

Seja também porque o chefe não reconhece o seu trabalho, em decorrência daquela demissão sumária, por alguém não lhe dar o merecido valor ou quando foi apanhado por uma daquelas surpresas desagradáveis da vida. Isso só para citar alguns exemplos.

Certamente é necessário tomar medidas antes que o seu cérebro se fixe nesse episódio.

É o que nos ensina Daniel Goleman, um dos maiores pesquisadores da Inteligência Emocional  que intitula essa condição como “Sequestro Emocional” . É quando não conseguimos pensar em outra coisa a não ser naquilo que está nos perturbando.

Quando você se sente injustiçado pode pensar:  isso só acontece comigo ou não nasci para ser feliz.

Esse sentimento de autocomiseração pode abalar sua autoestima, gerar um comportamento defensivo, queixoso e/ou desconfiado e muitas vezes, gerar um quadro depressivo.

Primeiramente, é importante avaliar se essa situação está fora do seu controle ou se há algo que você possa fazer sobre isso. Mesmo que seja mudar a forma como se sente com relação a isso. Se puder fazer algo sobre a situação, faça.

Você pode adotar algumas estratégias para lidar com essa situação. É possível mudar o pensamento com foco nos sentimentos positivos e realistas. Aprenda a interromper esses pensamentos e a trabalhar com os sequestros emocionais.

Depois, busque ressignificar a situação triste ou constrangedora transformado-a em aprendizado e mudanças para melhorar no presente e ter esperança no futuro. Sei que não é fácil, mas é um grande treino para a vida.

Finalmente, reoriente o foco, opte por focar naquilo que é verdadeiramente importante e construtivo. Faça isso de forma adulta, sem vitimização.

Não Somos mais Crianças

Nossos pais por nos amarmos e para nos protegermos nos alertaram contra as injustiças da vida. Mas crescemos e amadurecemos e hoje somos adultos e não mais aquelas crianças indefesas que precisam de proteção.

Não reforce essa crença limitante de ver o mundo como mal ou injusto. Caso, contrário, a tristeza e a amargura tomará conta da sua vida.

Não precisamos enxergar os outros como malvados e a nós mesmos como vítimas inocentes.

Injustiça no Trabalho

O trabalho é o ambiente onde acontecem injustiças.

Procure compreender os motivos da situação constrangedora que gerou as injustiças. Não seja precipitado ou perca o autocontrole. Dê um passo atrás, enxergue e analise a situação de outra perspectiva.

Em seguida, utilize sua voz acalentadora interna e não a voz crítica. Diga a si mesmo: “Isso vai passar.” ou “Eu vou ficar bem.”

Aborde a situação pacificamente, o que não significa passividade. Fale diretamente com pessoa que o julgou de forma errada, com transparência e assertividade, sempre mostrando os fatos, com o intuito de amenizar o sofrimento vivenciado e restaurar a justiça. Mas não seja inquisidor. Evite usar o Por quê, do tipo: Por quê você fez isso?” Utilize “Qual o sentido de você ter feito… (fale do fato, sem julgar a pessoa)”.

Enfim, faça o que estiver ao seu alcance, sem ressentimentos e sem desejo de vingança, sem tornar-se uma pessoa amarga.

Uma Prática Fundamental para Lidar com a Injustiça

Primeiramente, nosso sentimento de injustiça esmaece quando sentimos o perdão em seu nível mais profundo.

A Psicologia Positiva nos ensina a praticar o perdão que  significa a libertação de um vínculo negativo com a fonte que nos transgrediu. Essa fonte pode ser nós mesmos, outras pessoas ou uma situação fora de controle.

Portanto, reflita sobre as razões pelas é importante pedir perdão, e lembre-se:

Um coração ferido precisa ser tratado. O perdão é o melhor remédio nesses casos.

Assim, perdoe-se pelos erros, decisões, escolhas, atitudes cometidas. Perdoe outra pessoa por nos ter lhe transgredido de alguma forma. Perdoe as circunstâncias por algo que lhe aconteceu (infortúnio, morte na família, etc).

Definitivamente, tenha a disposição de abandonar o ressentimento em relação àquilo que o prejudicou e siga em frente com a sua vida! Isso não significa esquecer, e sim, neutralizar aquilo que lhe fez mal de forma que não cause mais nenhum tipo de dor emocional.

Lembre-se do que Platão já dizia:

Quem comete uma injustiça é mais infeliz que o injustiçado.

Em suma, pense que temos uma enorme vantagem sobre as pessoas que nos caluniam ou que nos fazem uma injustiça propositada: o poder de perdoá-las!

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

45 thoughts on “COMO LIDAR COM A INJUSTIÇA

  1. GivaniLda de Carvalho Santos says:

    Bom dia ! Minhas queridas mestras , antes de falar qualquer coisa quero que saibam o quanto vocês são importantes e contribuem muito para uma sociedade melhor . Hoje estou muito mal, mas lendo acerca desse excelente artigo posso sentir que não estou sozinha e que a forma de como lidar com as injustiças não é devolvendo com a mesma moeda, mas o ponto principal de tudo isso é ter toda sobriedade e controle mesmo sabendo que não tivemos culpa e agir calmamente só é possível tudo isso se aprender a exercer o perdão todo o artigo veio de encontro para a minha história de VIDA hoje pela manhã até chorei respirei fundo e busco uma saída e acredito que tudo vai passar.
    Obrigada por mandar esse artigo vou imprimir e lê lo todos os dias

  2. Fátima Santos says:

    Obrigado!
    O perdão é o melhor remédio .
    Foi isso que Jesus nos ensinou.
    A perdoar e abençoar quem fez a injustica.
    Se praticarmos, podemos experimentar anundante paz.
    Deus a abençoe.

  3. Eliana says:

    Tbm estava muito mal pois sou uma pessoa muito boa mas meus parente me esnoba sem motivo, lendo seu texto me fortaleceu obg Dra.

  4. Joelen says:

    Olá, eu fui tão injustiçada que já disseram coisas que eu nunca fiz e nem faria, já me decifraram um monstro de pessoa já até manipularam pessoas contra mim pra acabar com a minha vida social, entre família e acabar Até Com o meu casamento

  5. Liliane de Souza Balmant Roldão says:

    Excelente texto, me ajudou muito, resposta a minha oração. Paraabéns que vocês continuem a iluminar a vida das pessoas com textos tão inspiradores.

    • Profa. Ma. Elaine Dias says:

      Obrigada, Liliane, são feedbacks carinhosos como os seus que nos inspiram a continuar… Abraços, Yeda

      • Gilberto Pinto says:

        Parabéns às Professoras Yeda e Elaine, pelo artigo de muita utilidade e ajudas às pessoas que se sentem injustiçadas.
        Pois, quem nunca se sentiu?

        “examine o cerne da questão de forma imparcial, deixando de lado o seu ego e tentando observar de fora”, antes de fazer julgamento!
        Achei muito bom, vou acompanhar vocês.

  6. ADELSON says:

    Precisava ler isso!!
    Exatamente a 1 ano passei juntamente com o meu Tio uma grande injustiça, sendo julgado equivocadamente, mais graças a DEUS e a nossa família, foi provado a nosso inocência.

  7. Denis says:

    Parece fácil esquecer tudo, mas não é. Sofro pela injustiça que me causaram há mais de dez anos. Não consigo confiar em ninguém. Falo pouco. Não tenho vida social, não gosto, não quero. Tomo remédios e faço terapia sem resultados visíveis. Enfim, o ser humano é um ser falido espiritualmente. Lamento por isso. Abraços.

    • Profa. Ma. Elaine Dias says:

      Obrigada, Eliana.
      Para nós é um prazer pesquisar e escrever sobre temas relevantes para todos…
      Abraços,
      Profa. Yeda e Profa. Elaine

  8. Gorete Martins says:

    Perdoar é o mais difícil… é muito ruim quando ajudamos e não somos agradecidos tampouco reconhecidos. E pior ainda quando precisamos, e aqueles que ajudamos quando precisaram se mostram indiferentes. Será que o egoísta é mais feliz? Será que a vida é mais fácil para o egoísta? Ainda que estes questionamentos e constatações existam, quero deixar aqui registrado que o texto foi muito bem escrito, esclarecedor. Tratou o tema tão complexo com muita leveza.

  9. Anônimo says:

    É aquela coisa néee, facil falarrr, dificil fazerrr… As respostas da psicologia são óbvias, só deixam de modo formal o pensamento humano que todo mundo sabe. Quem tem rancor, mágoa de injustiça, comete um pequeno erro e cai em desgraça por bem pouco e sabe-se que as pessoas pessoas ao redor comentem erros bem piores e com frequência mas vivem felizes e em paz com a suas vidas. O pior de tudo é saber o tempo perdido e os anos que não vão ser devolvidos e que cada vez mais o tempo passa mais de pressa, se isso é atitude de criança, quero ver qual psicólogo não se torna um bebê chorão ao passar por isso.

    • Profa. Ma. Elaine Dias says:

      Isso não é atitude de criança. Compreendemos perfeitamente a sua dor. A ciência nos ensina que não temos controle por cerca de 10% das coisas que acontecem conosco. . Muitas vezes, infelizmente, somos vítimas das CIRCUNSTÂNCIAS da vida e não temos muito o que fazer sobre isso.
      O desafio é seguir em frente e ver sentido nas coisas, apesar da dor.

  10. Alva says:

    Passei por uma injustiça hoje no trabalho. Fatos e dados estavam expostos, mas não quiseram enxergar. Só consigo pensar que pessoa errou na avaliação e não tinha como voltar atrás no próprio erro, e por isso não quis nem ouvir meus questionamentos. Me senti muito mal, injustiçada, mas estou aqui tentando achar forças para expurgar este sentimento ruim de dentro de mim.

  11. VANESSA DE JESUS SOUZA says:

    Este texto muito bem escrito falou muito comigo. Acabei de passar por uma situação no trabalho . Por causa desse corona vírus minhas férias foram canceladas. E o mais triste foi a forma como me foi repassado isso. Disseram que podem precisar de funcionários para cobrir os postos da empresa por causa da dispensa de alguns colaboradores. Por um lado eu até entendo,mas outro me senti um lixo. Fiz planos com dinheiro das férias e agora eu faço o que ? Aguento calada mais essa injustiça? Já faço uso de medicamentos por conta de situações de estupro que tive na minha infância. Tenho dificuldade de confiar em pessoas. E quando acontecem essas coisas fico muito mal. Difícil passar por cima disso . Sinceramente não aguento mais.

    • Profa. Dra. Yeda Oswaldo says:

      Poxa Vanessa, sentimos muito pelo ocorrido.
      Entendemos o que está sentindo, realmente é muito difícil conviver com as injustiças. Por isso fomos motivadas a estudar melhor o assunto, sabemos quanto sofrimento elas causam…
      Tenha calma e sabedoria para passar por isso…
      Abraços.

  12. Barbara Marcollino says:

    Acho que injustiças são projeções de frustrações de outras pessoas em nós. Não tenho nada com a vida de ninguém, como se atrevem a querer me arrastar para um sentimento que não me cabe naquele momento? É o tipo de crueldade sem nexo que, como o próprio texto diz, desencadeia o pior de você sem necessidade, além de ser o tipo de coisa que tanto normalizam para as massas, assim ninguém se atreve a reclamar estando em minoria. Somos ensinados há milênios a fazer vítimas, mas repudiar o vitimismo, o próprio paradoxo…

  13. Edilene says:

    Olá acabei de ler esses conselhos maravilhosos. Já chorei tanto hoje fui injustiçada pela minha supervisora me deu uma advertência e uma suspensão no mesmo dia poruma falta ao trabalho sendo qye conversei com ela foi muito mal caráter não entendir porque estou pedindo a Deus para esquecer isso não tenho mágoa mais dói muito a injustiça.Muito obrigado me ajudou muito ler esse artigo,Deus continue abençoando vocês.

  14. Solange maria furtado da silva Furtado says:

    Boa tarde minhas filhas se voltaram contra mim porque dei um tapa no rosto do meu filho de 17 anos foi um impulso estava muito nervosa a minha filha caçula me agrediu e a mais velha falou algumas coisas para mim que não gostei depois de uns dias pedir perdão a elas pelas ofensas que disse a elas mas não consigo mais conviver com elas não quero mais falar com elas acho que o que elas fizeram não tá certo .O que eu fiz também não tá certo mas eu não consigo falar com elas estou errada em não querer mais conviver com elas e nem falar com elas, me ajuda me respondendo por favor, as pessoas ficam mandando perdoar faço tudo para elas através do meu marido para elas não só para mais velha porque a mais nova não adianta não consigo.

  15. Glorinha says:

    Fui acusada de adulterio e desvio de valor em nossa empresa por meu marido… depois falou que temos que tentar continuar pois me ama e tal… eu o amo mas todo o dia vem na minha cabeça a palavra INJUSTIÇA pois nada disso eu fiz, pelo contrario, estou deprimida e ele acha que estou triste por causa de algum relacionamento que estou tendo !! Doi demais ouvir tudo isso da pessoa que vc ama e que sempre foi tudo pra mim ! Depois de 30 anos e pensar assim de mim ? Não mereço ! Não sei se vou conseguir superar !

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *