ASSERTIVIDADE NAS RELAÇÕES INTERPESSOAIS

Assertividade

Assertividade: uma atitude fundamental para relações interpessoais positivas. 

A comunicação assertiva é clara e objetiva. E principalmente, é direta e ao mesmo tempo, respeitosa.

Para os estudiosos da Psicologia Positiva, a assertividade contribui com o fortalecimento das relações interpessoais.

Entretanto, para a grande maioria das pessoas, ela não surge naturalmente. Afinal,  é mais fácil e rápido ser submisso ou agressivo do que debater ou defender ideias de forma madura.

Imagine então se estamos lidando com pessoas difíceis, seja o marido, o chefe, algum membro da família, um cliente… Para evitar confrontos ou para finalizar a discussão, não agimos com assertividade.

De fato, diante de uma situação estressante é comum deixamos de pensar de forma racional. Assim, regredimos em nossa escala evolucionária sem perceber.

Nesse sentido, o professor e fisiologista Walter Bradford Cannon, afirma que ao nos sentir acuados, pressionados, ameaçados ou amedrontados, agimos como animais. Segundo ele, em situações de estresse agudo tendemos a emitir três tipos de respostas: “Luta, Fuga ou Paralisação (LFP)”.

Com efeito, facilmente deixamos de ser assertivos.

Falta de Assertividade

Aparentemente, uma resposta do tipo LFP pode parecer benéfica a curto prazo. Mas definitivamente, ela ocasiona danos a longo prazo.

Pense bem:

Quando “Lutamos’, somos agressivos, agimos com raiva, enfrentamos o que nos ameaça.

Por outro lado, quando “Fugimos”, nos afastamos, saímos de perto da pessoa conflituosa, deixamos de ouvir ou conversar.

Por fim, “Paralisamos” e não falamos nada, ficamos passivos, esperando que tudo passe.

Consequentemente, em nenhuma dessas formas resolvemos o problema. 

E infelizmente, quanto mais acuados, mais adrenalina sentimos e esses comportamentos se intensificam em nós.

E assim, viram hábitos, tornando-se um estilo de resposta cristalizado, formando nossa identidade.

Imagine que ocorreu um problema no escritório e as pessoas já antecipam como as outras reagirão a ele:

“- O Fernando é muito nervoso e agressivo, vai resolver na gritaria.

“- Nem adianta falar com a Maria, ela não gosta de problemas, vai inventar uma desculpa para ficar longe disso.”

 “- A Ana é boazinha, mas não tem atitude, não vai fazer nada.

Agora reflita: quem é você nessa situação?

O que Fazer

Obviamente que nenhuma dessas respostas é válida quando precisamos atuar em níveis mais elevados. Seja quando estamos em uma reunião, quando precisamos defender nossas ideias ou direitos, estamos fechando um contrato ou debatendo sobre algo importante. Nesses casos, é fundamental agir com assertividade.

Afinal as respostas do tipo LFP só são efetivas quando estamos com nosso estado físico ameaçado, o que convenhamos, são raríssimas vezes.

Por isso é preciso usar estratégias inteligentes e evoluídas em nossa comunicação.

Isso significa ter uma conversa madura com outra pessoa, dizer o que é preciso, sem agressividade ou submissão. Enfim, sermos assertivos nas relações interpessoais.

Gostou do assunto? Em nosso curso de Psicologia Positiva EAD temos intervenções positivas específicas para desenvolver a assertividade!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

X