PESSOA EMPÁTICA: APRENDA COMO SER UMA

A pessoa empática tem melhor convívio social.

Primeiramente, desenvolver a empatia significa aprender mais sobre as outras pessoas. Isso aumenta nossa capacidade  de relacionar positivamente com elas. Sobretudo, a empatia permite captar e sintonizar com as emoções alheias e as expressamos para essas pessoas.

No caso dos comissários de bordo, sem a noção do que o passageiro necessita ou do seu desespero e sofrimento, o envolvimento e a humanização são impossíveis. Logo, tanto para relacionamentos quanto para resolver os conflitos, a empatia é fundamental.

Além disso, ela permite experimentar visões diferentes e observar aspectos antes ignorados por nós.

Mas por certo, é possível tornar-se uma pessoa empática por meio de atividades relativamente simples.

Como se Tornar uma Pessoa Empática

Primeiramente, a prática fundamental da empatia é aplicar o autocoaching, perguntando a si mesmo:

– O que ele/ela está sentindo?

– O que posso fazer por ele/ela nessa situação?

Depois, imagine o que ele/ela está sentindo e o que poderia ser feito, se for possível, cheque suas suposições por meio das perguntas poderosas do coaching:

– O que posso fazer por você? Do que você precisa? Como posso ajudar?

Sem dúvida, isso melhorará muito seu relacionamento com essa pessoa porque ela entenderá que você está realmente disposto a ajudar.

A medida que praticar as perguntas, primeiro consigo mesmo e depois com o outro, a tendência é que as suas respostas fiquem mais próximas à necessidade do outro.

Isso é a prova que você está se tornando cada vez mais, uma pessoa empática!

Cinco Estratégias Adicionais para Desenvolver a Empatia

Além disso, selecionamos cinco estratégias que o ajudarão no desenvolvimento da empatia:

  1. Seja curioso: converse interessadamente com pessoas diferentes. Procure conhecê-las melhor sem ser invasivo.
  2. Vença preconceitos: aproxime-se de uma pessoa que dificilmente você faria normalmente, talvez alguém de outra religião, crença ou orientação sexual diferente. Deixe os conceitos preconcebidos e procure entender as origens e motivações dessas pessoas.
  3. Passe um tempo com bebês ou animais: como eles não podem se expressar por meio das palavras, você aprenderá a identificar o que sentem e precisam por meio de indícios não verbais.
  4. Compartilhe conhecimento: ensine conhecimentos ou habilidades a outras pessoas. No papel de professor, coach ou mentor, você precisará perceber se eles entenderam o que você está ensinando, caso contrário, precisará mudar a estratégia.
  5. Aceite as pessoas como elas são: não tente mudá-las, simplesmente aceite-as. Esforce-se em compreender porque são como são e não em tentar mudá-las. No máximo, você pode mudar a si próprio.

Finalmente, agora seu maior desafio é praticar cada uma das estratégias regularmente para tornar-se mais empático. Consequentemente, será mais inteligente emocionalmente.


Esse artigo teve a colaboração da Profa. Dra. Yeda Oswaldo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

X