MINDFULNESS: O PRESENTE É UM PRESENTE

Você esquece o nome de uma pessoa assim que o ouve? Guarda o lixo na geladeira e joga a caneca no lixo? Quebra ou esbarra nas coisas frequentemente?

Quando isso acontece você não está vivendo o presente, está com sua mente acelerada e ocupada com outras coisas, está no “piloto automático”.

Grande parte de nosso sofrimento ou de problemas pessoais, interpessoais e sociais ocorrem por não estarmos com nossa mente no aqui e agora.

Por certo isso ocorre porque a maioria de nós vive em ambientes acelerados, dinâmicos ou complexos, o que nos faz agir de forma irrefletida. Neles estamos com o corpo presente, mas a nossa mente está pensando no passado ou ansiosa com o futuro. Isso ocasiona muitos problemas.

Consequências de Não Viver O Presente

Com isso, agimos de forma inconsciente e não prestamos atenção no momento. Não só deixamos de perceber a nós mesmos, como também ficamos insensíveis ao que se passa com as outras pessoas do nosso círculo de relacionamento. Mesmo que elas sejam importantes para nós.

Da mesma forma, não observamos os acontecimentos que se passam à nossa volta e por isso, muitas vezes, deixamos de fazer as escolhas certas. Simplesmente “deixamos nos levar”.

Desse modo, as distrações, as preocupações e os nossos hábitos muitas vezes nos fazem divagar… Mas não é prudente agirmos mecanicamente quando estamos fazendo ou decidindo algo importante.

Em outras palavras, para viver e não somente existir, é preciso atenção e concentração no tempo presente.

Por isso, para combater essa dispersão da mente, a Psicologia Positiva utiliza o “mindfulness”, uma prática que serena a nossa mente e promove significado ao que vivenciamos. Com ela nos tornamos conscientes de momentos que normalmente passam despercebidos.

O que é Mindfulness

Para esclarecer, mindfulness é o mesmo que Atenção Plena. Ele veio contrapor a situação de dispersão e impermanência. Com isso, cria um estado de atenção que nos foca intencionalmente na experiência direta do momento presente. Em uma atitude aberta e não julgadora, de aceitação (diferente de passividade).

Assim, quando fazemos isso, as pessoas e as situações podem ser as mesmas, mas nossas percepções sobre elas são diferentes. O simples fato de prestarmos muita atenção às situações simples que vivenciamos é o suficiente para torná-las mais prazerosas e interessantes. É o caso de comer uma uva, sentir um perfume ou contemplar uma obra de arte.

Nesse sentido, o presente torna-se um presente.

O que a princípio pode parecer simplório, é o início para as mudanças em nossas mentes e por consequência, em nossas vidas. Além disso, saborear conscientemente vários aspectos da vida a deixa mais prazerosa.

CLIQUE AQUI PARA BAIXAR GRATUITAMENTE NOSSO E-BOOK COM 8 PRÁTICAS DE MINDFULNESS!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

X